20 de fevereiro de 2015

Nutrição com Óleo de coco e Rícino | Cronograma Capilar


A nutrição é o passo que mais causa dúvidas em quem passar a conhecer o cronograma capilar.

Por isso vim esclarecer como fazer e o que usar.
Algumas blogueiras polemizaram com esta etapa por dizerem que não se pode nutrir o cabelo. Isso porque elas levaram ao pé da letra a palavra nutrição.

Nutrição é o processo de fornecimento aos organismos animais e vegetais dos nutrientes necessários para a vida. (Fonte)

Aí está a polêmica, pois na definição trata de nutrientes necessários para a vida, porém o cabelo não é uma matéria viva.
  1. O cabelo é uma haste fibrosa, formada por células mortas compostas de uma proteína chamada queratina, produzida por células chamadas queratinócitos (a única parte viva do fio) que se encontram no bulbo, na derme do couro cabeludo.(fonte)
Com isso passaram a chamar de umectação que por definição é tornar úmido, molhar (Fonte).

Eu prefiro chamar de nutrição, pois, apesar de não nutrir por definição, essa etapa deixa o cabelo com aparência de mais vida, com brilho e agrega sim algo ao fio que pode não nutrir, mas que fornece nutrientes para dar uma aparência de vida ao cabelo opaco isso ela faz.

Mas enfim, vamos a nutrição.

Como saber se o cabelo está precisando de nutrição?

A nutrição repõe os lipídios dos cabelos, ou seja, a oleosidade dos fios.  Ela dá brilho, força e vitalidade. Os cabelos ficar sem frizz e sem pontas duplas. Então, se seus cabelos estão com frizz, desalinhado, poroso, opaco e com pontas duplas ele necessita de nutrição.  E meu cabelo está com tudo isso devido as viagens que fiz nesse carnaval para praias e falta de cuidados da minha parte.







O meu óleo preferido para a nutrição é o óleo de coco.  Isso porque ele é um óleo com propriedade penetrante, ou seja, ele é um dos poucos óleos que penetram de fato no fio do cabelo.  Ele é rico em vitamina E, ácidos graxos, ômega 6 e 9.  Ele age no córtex do cabelo, que é a porção interna da fibra capilar.

Agora vamos ao que diz na embalagem sobre o óleo.



Esse óleo é prensado à frio, não sendo, consequentemente, refinado.  Ou seja, o óleo é extraído através de prensagem e filtragem com processo físico, o que mantém suas propriedades, pois no refinamento ele passa por um processo de purificação que leva calor e água sanitária (Fonte).  Não sendo também hidrogenado, que é a adição de hidrogênio e um catalisador metálico em alta temperatura para que o óleo se comporte como um sólido (Fonte).

A acidez é algo importantíssimo para o cabelo, pois quanto mais ácido o produto, mais brilho dará ao cabelo, isso porque o cabelo tem PH que varia de 4,2 a 5,8, ou seja, é ácido.  Se um produto é mais ácido que o fio ele baixa as cutículas, fazendo com que reflita a luz, deixando assim brilhoso.
Por isso os shampoos são alcalinos, para levantar a cutícula e o tratamento penetrar no fio.


Ele é 100% natural, não sendo misturado com outros óleos.



É um óleo bem fluido e transparente.


Para a nutrição você precisará além do óleo, lógico, uma vasilha para separar a quantidade de óleo que vai precisar para a aplicação.   Não é bom ficar colocando a mão direto no óleo para não contaminar, principalmente se você também usa na comida.  A seringa é opcional, eu a uso para transportar o óleo e não fazer meleca, pois se eu virar o pote o óleo escorre pelo vidro e eu faço a maior sujeira. rsrs.


Essa seringa é de 3 ml, eu uso 3 seringas.  Isso para o comprimento e volume dos meus cabelos.



Para servir de parâmetro, essa é a quantidade que uso.  A espuminha é só por causa da pressão que sai o óleo da seringa.



O outro óleo que agrego em minha nutrição capilar é o óleo de Rícino, o mesmo óleo de mamona.

O óleo de rícino tem ação antifúngica e antibacteriana.  Tratando, assim, de males do couro cabeludo, mantendo-o limpo e fortalecendo a raiz do cabelo. Com isso os fios crescem mais fortes e saudáveis.

Ele é um óleo transparente, porém mais grossinho que o de coco.  Perceba na foto abaixo que o óleo escorre muito pouco sobre meu dedo.



Vamos a aplicação do óleo de coco:



1-  Separo mechas pequenas para garantir que aplicarei o óleo em todo cabelo por igual;
2- Encosto dois dedos no óleo de coco que separei para a aplicação;
3- Esta é a quantidade suficiente para aplicar na mecha, mas caso você tenha mais cabelo que eu e queira pegar mechas maiores você aplica quantas vezes forem necessárias para melar bem os fios;
4- Começo aplicando nas pontas para concentrar o excesso do óleo onde meu cabelo é mais seco;
5- Depois vou para a raiz do cabelo, pois o óleo deve ser aplicado em toda a extensão do fio;
6- Veja a diferença da mecha com óleo e da mecha sem óleo, isso para você ver que tem que colocar bem o óleo nos fios.

A aplicação do óleo de rícino é da seguinte forma:

Apenas viro o frasco tampando a boca com os dedos como na foto.



Em seguida, com a ponta dos dedos vou aplicando no couro cabeludo e massageando com  movimentos circulares e de vai e vem.



Os cabelos devem ficar completamente enluvados com o óleo de coco e o couro cabeludo coberto com o óleo de rícino.


Mesmo que você tenha a raiz dos cabelos oleosa você deve aplicar o óleo no couro cabeludo, pois o óleo irá ajudar também no controle dessa oleosidade, pois irá tratar, hidratando também o couro cabeludo fazendo com que diminua a produção de sebo, diminuindo inclusive a caspa, pois seu organismo identificará que essa parte já está hidratada.  Parece sem lógica, mas é assim que nosso organismo funciona.

Caso não tenho o óleo de rícino, o próprio óleo de coco pode ser aplicado também no couro cabeludo, na verdade qualquer óleo vegetal.  Eu uso o de rícino por ser conhecido em acelerar o crescimento do cabelo.

Depois de aplicados os óleos você faz um coque apenas ou pode também colocar uma touca de plástico, dessas de banho, e passa pelo menos duas horas.  Se conseguir pode passar a noite.  Eu, normalmente, passo pela manhã e tiro final da tarde.

Esse processo pode ser fito tanto com os cabelos limpos como com os cabelos sujos.  Não influencia no resultado.  Pois em ambos os casos você terá que tirar o óleo com shampoo.

Passado o tempo eu retirei todo o óleo do couro cabeludo e dos fios.  Usei o shampoo e condicionador abaixo.  Mas só para mostrar, pois você pode usar o que tiver.  O importante é retirar todo o óleo,  pois o que o cabelo tinha que absorver ele já absorveu.



Lave quantas vezes forem necessárias para retirar tudo.  Observe pela água que sai do cabelo na lavagem até ela sair limpinha. Lembrando que não pode usar força no couro cabeludo nem friccionar os fios.  Lave co delicadeza.  Eu apliquei o shampoo na raiz umas duas e vezes e umas três vezes nos fios. Depois apliquei condicionador e finalizador.  Não apliquei óleo nenhum de finalização para não influenciar no resultado do brilho e frizz.

O resultado?


  



Cabelos definidos, brilhosos e com frizz reduzido.  E caso pergunte, não, não fica oleoso.

Você pode comprar o óleo de coco em supermercados na sessão de produtos naturais por volta de R$ 28,00, mais ou menos, ou em lojas de produtos naturais.  O Óleo de rícino você encontra normalmente em farmácias e custa baratinho também, não lembro exatamente quanto paguei, mas se não me engano foi por volta de R$ 2,00.

Alguma dúvida?  É só perguntar.

bjoka.

14 comentários:

  1. Nossa que dica, eu uso esse óleo de coco a muito tempo mas na cozinha em receitas saúdaveis nunca imaginei que poderia ser usado assim vou testar.
    Passei para deixar um convite, tem sorteio no blog se gostar participe tb.
    bjs

    blogperfumedepitanga.blogspot.com.br/2015/02/sorteio-aqui-no-blog-perfume-de-pitanga.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Janini, depois que testar volta pra contar o que achou. Estou indo visitar agorinha seu blog. Bjos e obrigada pela visita.

      Excluir
  2. Perfeita explicação,uso óleo de Coco há um tempo e adoro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. posso fazer esse processo de quanto em quanto tempo?

      Excluir
    2. Depende muito de como seu cabelo se comporta. Faço uma vez por semana. Acho que fica ideal. Se pesar no seu cabelo faz a cada 15 dias. Bjão pra vc.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Olá!!! O óleo de coco fica com uma textura como se fosse um creme branco quando a temperatura está fria. Você pode esquentar em banho maria ou deixar alguns segundos no microondas para ele ficar líquido e poder usar nos cabelos.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Oi Letícia. Obrigada por visitar o blog. :) Você pode usar qualquer óleo vegetal. Até o azeite de Oliva da cozinha você pode usar, de preferência o extra virgem. Tem também o óleo de abacate, de amêndoas, de macadâmia. O importante é você vê se são puros e não estão misturados com algum óleo mineral.

      Excluir
  5. Oi Boa tarde adorei suas dicas
    Eu porém misturei um pouco do óleo de Coco com o de ruinoso em um pouco de máscara de hidratação e deixei por 3o mim
    Dessa forma também esta correto o uso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!! Dá certo sim. Você gostou do resultado? :)

      Excluir
  6. Olá !!! Eu queria saber quantas vezes na semana eu posso fazer ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gaby, obrigada por visitar o blog. :) Respondendo a sua pergunta. Depende do seu tipo de cabelo e o estado dele. Mas você pode fazer uma vez por semana. É como eu faço.

      Excluir

Obrigada por comentar. Ficamos muito felizes com sua visita. Responderemos o mais breve possível.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...